Brasil

Bolsonaro celebra encontro com Trump: “Oportunidade de retomar laços”

Presidentes de Brasil e Estados Unidos farão reunião no próximo dia 19, em terras norte-americanas; comércio e Venezuela estão entre as pautas

O presidente Jair Bolsonaro disse que o encontro com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, neste mês, “será uma grande oportunidade de retomar os fortes laços” entre os dois países.

Em sua conta pessoal no Twitter, Bolsonaro confirmou que, no próximo dia 19, embarca para os Estados Unidos, onde terá entre outros compromissos o encontro com Trump. “[Será] Uma grande oportunidade de retomar os fortes laços entre nossas nações na busca de um ocidente com liberdade e prosperidade. Temos muito a somar!”, escreveu o presidente brasileiro.

Segundo a Casa Branca, entre os temas que poderão ser discutidos no encontro destacam-se a cooperação na área da defesa, políticas comerciais, combate ao crime transnacional e a crise na Venezuela.

Bolsonaro e Trump  devem conversar sobre os esforços para fornecer ajuda humanitária à Venezuela. Brasil, Estados Unidos e Colômbia lideraram o movimento de doações para os venezuelanos a partir da cidade colombiana de Cúcuta e da brasileira Boa Vista, capital de Roraima.

Os Estados Unidos , o Brasil e mais de 50 nações reconheceram Juan Guaidó, autodeclarado presidente da Venezuela, como legítimo. Guaidó é presidente da Assembleia Nacional da Venezuela. O impasse no país vizinho permanece, pois o presidente Nicolás Maduro diz que vai se manter no poder com apoio da China, Rússia e Turquia, do México e Uruguai.

O convite  por parte do presidente norte-americano não é recente. A primeira aproximação entre os dois se deu ainda antes da posse do brasileiro, quando o assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, esteve no Brasil.

Desde então, Trump e  Bolsonaro  têm trocado elogios e comentários sobre alguns temas, principalmente relacionados a economia, mudança climática e o papel da China no cenário mundial, o que tem estreitado ainda mais os laços entre os dois países.